fbpx
Potterish
Áreas dessa seção

Posted by on Maio 26, 2012 in Alice no País das Maravilhas, Outros filmes/trabalhos |

Alice no País das Maravilhas

(Alice in Wonderland, 2010)

Gênero: Aventura/Fantasia
Tempo de Duração: 108 minutos
Ano de Lançamento: 2010
Estúdio: Walt Disney
Distribuição: Walt Disney Pictures
Orçamento: US$ 200 milhões
Arrecadação: US$ 1,024 bilhão
Direção: Tim Burton
Roteiro: Linda Woolverton (baseado nos livros Alice no País das MaravilhasAlice Através do Espelho e O Que Ela Encontrou Por Lá, de Lewis Carroll)
Produção: Richard D. Zanuck, Joe Roth, Suzanne Todd e Jennifer Todd
Música: Danny Elfman
Com: Mia Wasikowska, Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, Alan Rickman, Frances de la Tour, Paul Whitehouse, Timothy Spall, Stephen Fry e Imelda Staunton.
Site oficial: Para acessar o site oficial do filme, clique aqui.
Notícias relacionadas: Todas as notícias do Potterish relacionadas a este filme, você encontra aqui.

Sinopse

Alice, aos 19 anos, percebe que está a ponto de ser pedida em casamento numa festa em Londres. Decidida a não aceitar, ela é guiada pelo Coelho Branco de volta ao País das Maravilhas, sem se lembrar de que já estivera por lá aos 6 anos de idade. Ao chegar, reencontra velhos conhecidos, como o querido Chapeleiro Maluco, a bela Rainha Branca e a tão admirada pelo exército de cartas Rainha Vermelha.

Conhecendo o elenco

Nos preparativos antes das gravações, a atriz Mia Wasikowska foi selecionada para fazer o papel Alice nas filmagens. No mesmo ano, ela interpretou Joni em Minhas Mães e Meu Pai. Mais tarde, anunciou-se as participações dos habituais colaboradores do diretor Tim Burton, Johnny Depp (A Fantástica Fábrica de Chocolates), como o Chapeleiro Maluco, e sua esposa Helena Bonham Carter, conhecida por interpretar Belatriz Lestrange na franquia Potter, como a Rainha Vermelha. Pela primeira vez, Anne Hathaway foi convidada a trabalhar com Burton, como a Rainha Branca.

Em seguida, foi a vez dos também potterianos Alan Rickman (Severo Snape), selecionado para o papel da lagarta Absolem, e de Timothy Spall (Rabicho), Imelda Staunton (Dolores Umbridge) e Paul Whitehouse (Sir Cadogan), Stephen Fry (narrador dos áudio-livros britânicos), escolhidos como os dubladores do cão Bayard, do Gato que Ri, das Flores falantes e da Lebre de março. No segmento do mundo real, Frances de la Tour encarna a tia Imogene. Para ver mais, clique aqui.

Conhecendo a equipe técnica

Tim Burton voltou a realizar uma superprodução adaptada de livro infantil cinco anos depois do sucesso de A Fantástica Fábrica de Chocolate, produzido por Richard D. ZanuckJoe Roth, Suzanne Todd e Jennifer Todd. A trilha sonora do filme contou com a maestria de Danny Elfman, enquanto a montagem ficou a cargo de Chris Lebenzon, ambos já parceiros de longa data do diretor. Dariusz Wolski, diretor de fotografia de Sweeney Todd, exerce aqui a mesma função. O roteiro foi escrito por Linda Woolverton, inspirado livremente nos livros de Lewis Carroll. Para ver mais, clique aqui.

Fotos

Todas as fotos relacionadas a Alice no País das Maravilhas, você confere em nossa galeria clicando aqui.

Galeria de Vídeo

 

Teaser Alice no País das Maravilhas
Características Via Apple Trailers. Exige QuickTime instalado.
Links:
480p | 720p | 1080p | iPod/iPhone

 

 

Trailer Alice no País das Maravilhas
Características Via Apple Trailers. Exige QuickTime instalado.
Links:
480p | 720p | 1080p | iPod/iPhone

 

 

Trailer Alice no País das Maravilhas – YouTube
Características Via YouTube.
Links:
Sem legendas
Legendado

 

Datas de lançamento

Argentina – 4 de março de 2010
Brasil – 23 de abril de 2010
China – 26 de março de 2010
Dinamarca – 5 de março de 2010
Estados Unidos – 5 de março de 2010
Espanha – 16 de abril de 2010
França – 24 de março de 2010
Itália – 3 de março de 2010
Japão – 17 de abril de 2010
Portugal – 4 de março de 2010
Reino Unido – 5 de março de 2010
Síria – 4 de março de 2010

Para ver mais datas, clique aqui.

Críticas

“O que me agrada neste Alice não é a forma muito perversa como Burton transfigura o espírito de uma obra-prima (até as minhas expectativas foram desafiadas: eu queria um filme mais sombrio, cruel, um milkshake de Sweeney Todd com A fantástica fábrica de chocolate, entende?), mas as sutis peripécias do diretor, que constroi um “país das maravilhas” decadente e desolado, sob a névoa da guerra e do autoritarismo.”
[Continua]
Por Tiago Faria ao Meu Nome Não É Superoito.

Alice no País das Maravilhas nada mais é do que uma propaganda, um mostruário e, também, um conformismo por parte de uma produtora que sempre se voltou para uma apresentação “formal e correta” de suas histórias. Diante de uma iniciativa como esta, que já mostrou ser competente e muito benvinda, os erros e descuidos de uma produção não vão passar de meros tropeços (ou inseguranças) de um momento que está começando agora.”
[Continua]
Por Arthur Melo ao Pipoca Combo.

“A empolgação das fotos não se repetia com as imagens em movimento. E o 3-D mostrado na prévia caía no lugar-comum […]. Apesar de um argumento interessante e painéis de deixar qualquer um de boca aberta, a história não convence e o 3-D continua apenas apontando para a plateia, como se alguém hoje em dia ainda esticasse o braço na tentativa de pegar os objetos em cena.”
[Continua]
Por Marcelo Forlani ao Omelete.

“O que nos envolve é a pura curiosidade de ver até onde aquela maluquice vai chegar (inclusive, e talvez, sobretudo, em termos visuais). Não estamos ali para acompanhar uma jornada interior, ou o desenvolvimento de um arco dramático da protagonista, mas pelos eventos e personagens mesmo, inclusive por muitas cenas que, mesmo soltas, valem a viagem, como a festa do chá, as de mudanças de tamanho, as que envolvem os gêmeos e todas as cenas da Rainha Vermelha, uma personagem tão adorável em sua repugnância que mereceria um filme de Tim Burton só pra ela.”
[Continua]
Por Leo Cunha ao Filmes Polvo

Prêmios e Indicações

  • Vencedor dos prêmios de Melhor Direção de Arte (Robert Stromberg e Karen O’Hara) e Melhor Figurino (Colleen Atwood) no Óscar 2011

  • Vencedor dos troféus de Melhor Figurino (Colleen Atwood) e Melhor Maquiagem e Cabelo (Valli O’Reilly & Paul Gooch), no BAFTA 2011

  • Laureado como Melhor Filme de Fantasia e Melhor Figurino (Colleen Atwood) nos Saturn Awards 2011

  • Escolhido na categoria de Melhor Luta (Alice contra o dragão Jabberwocky) nos Teen Choice Awards de 2012

  • Indicado pela Academia ao prêmio da categoria de Melhores Efeitos Visuais no Óscar 2011

  • Indicado aos Globos de Ouro 2012 de Melhor Comédia ou Musical e Melhor Ator em Comédia ou Musical (Johnny Depp) e Melhor Trilha Original (Danny Elfman)

  • Indicado, no BAFTA 2011, nas categorias de Melhores Efeitos Visuais, Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Original (Danny Elfman)

  • Indicado à categoria de Melhor Álbum de Trilha Sonora para Cinema, TV ou Outras Mídias Visuais (Danny Elfman) no Grammy 2011

  • Indicado aos National Movie Awards 2010 como Melhor Fantasia e duplamente em Melhor Atuação (Johnny Depp e Helena Bonham Carter)

Curiosidades

  • Burton escolheu Mia Wasikowska como Alice devido à sua “gravidade”. Ela superou várias candidatas famosas, como Amanda Seyfried e Lindsay Lohan, que demonstraram interesse em participar da produção.

  • Johnny Depp trabalhou a fundo na criação do Chapeleiro Maluco. Assistia frequentemente ao programa de comédia Rab C. Nesbitt para aprimorar seu sotaque de Glasgow e confeccionou uma série de aquarelas do personagem, que comparava com os que o próprio Burton fazia em reuniões conceituais.

  • Antes do envolvimento de Tim Burton no projeto, o papel de protagonista fora oferecido a Anne Hathaway, que o rejeitou por ser parecido demais com seus trabalhos anteriores. Interessou-se no projeto, porém, quando o diretor a convidou a interpretar a Rainha Branca.

  • A intenção original era de que a lagarta Absolem tivesse as feições de Alan Rickman. O ator de fato foi filmado enquanto gravava suas falas, mas a ideia foi eventualmente abortada – os animadores limitaram-se a dar ao personagem certos traços do intérprete.

  • Danny Elfman preparou a trilha original para o filme sem ter muita noção de sua preparação estética, já que só teve tempo de assistir à versão ainda com o fundo verde.

  • Alice tornou Johnny Depp o primeiro ator a estar presente em dois filmes que arrecadaram mais de 1 bilhão de dólares em bilheterias mundiais: o primeiro havia sido Piratas do Caribe: O Baú da Morte. No ano seguinte, Depp superou seu próprio recorde, com Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas também atingindo a impressionante marca.

Trilha sonora

null

1. Alice’s Theme
2. Little Alice
3. Proposal/Down The Hole
4. Doors
5. Drink Me
6. Into The Garden
7. Alice Reprise #1
8. Bandersnatched
9. Finding Absolem
10. Alice Reprise #2
11. The Cheshire Cat
12. Alice And Bayard’s Journey
13. Alice Reprise #3
14. Alice Escapes
15. The White Queen
16. Only A Dream
17. The Dungeon
18. Alice Decides
19. Alice Reprise #4
20. Going To Battle
21. The Final Confrontation
22. Blood Of The Jabberwocky
23. Alice Returns
24. Alice Reprise #5

Compre-o aqui.

Fontes

IMDb
Box Office Mojo
Wikipedia EN

Download mp3