O que J.K. Rowling diz sobre... Seus pensamentos, interesses e crenças

Nota: a menos que você veja aspas, estes são apenas resumos, e não palavras da própria JKR. Por favor, veja o artigo indicado para o texto original.

  • JKR admira “bravura em todas as formas.”
    [WBUR Radio, 1999]
  • Ela não gosta de dizer as pessoas os títulos dos livros dela antes que eles estejam prontos; é uma superstição.
    [National Press Club, 1999]
  • “A única razão para que você verá um oitavo livro de Harry Potter é se eu realmente, em dez anos, quiser fazer outro, mas no momento eu acho que é improvável”.
    [National Press Club, 1999]
  • Como uma professora, o “pior, a mais miserável coisa que você pode fazer” é intimidar crianças (traça um paralelo com Snape).
    [Conversas com JK Rowling p. 21]
  • JKR não acredita em bruxaria.
    [South West News Service, 2000]
  • “Bem, eu acho que geralmente o caso é que os maiores valentões falam sobre o que sabem ser seus próprios defeitos, como eles os vêem, colocando em outra pessoa e então tentam destruir o outro e é isso que Voldemort faz.”
    [cBBC Newsround, 2000]
  • “Intolerância é provavelmente a coisa que mais detesto. Todas as formas de intolerância, a idéia completa de ‘que o que diferente de mim é necessariamente mau.’ Eu realmente gosto de explorar a idéia de que diferença é igual e bom. Mas não tem outra idéia que eu também gosto de explorar. Grupos oprimidos não são, falando generalizadamente, pessoas que se mantêm firmemente juntos – não, lamentavelmente, eles meio que se subdividem entre eles mesmo e lutam como inferno. Essa é a natureza humana, então é o que você vê aqui. Esse mundo de bruxos e bruxas, eles já são afastados, e então junto a eles mesmo, eles formaram uma hierarquia repulsiva.”
    [Entertainment Weekly, 2000]
  • JKR: “Eu tenho um problema real com violência gratuita.”
    [Time Magazine, 2005]
  • A forma do animago de JKR seria uma lontra – que ficará relevante em uma entrevista posterior!
    [Scholastic chat #2, 2000]
  • JKR não acha que ela jamais publicará seus cadernos de anotações.
    [World Book Day, 2004]
  • Você irá escrever livros sobre Harry depois da escola?
    JKR: “Provavelmente não, mas eu nunca digo nunca porque toda hora eu imediatamente quebro a promessa!”
    [World Book Day, 2004]
  • Se houver um oitavo livro de Harry Potter, o dinheiro irá para a caridade. “Poderia ser a enciclopédia do mundo (de Hogwarts) e então eu poderia me libertar de cada detalhe obscuro, mas não um romance.”
    [Ananova, 2001 | JKR Official Website]
  • Jo se divertiria fazendo “algo como Pirraça, causando confusão e não incomodando.”
    [Edinburgh Book Festival, 2004]
  • Como Macbeth de Shakespeare, a profecia era um “catalisador para uma situação que nunca teria ocorrido se ela não tivesse sido.” JKR parece dizer que isso é a opinião dela sobre as profecias em geral.
    [JKR Official Website]
  • JKR: “Profecias são comumente interpretadas em diferentes pontos de vista. É isso ambas a força e a fraqueza.”
    [JKR Official Website]
  • Jo acha que existam por volta de 3,000 bruxos na Inglaterra, embora ela admita que ser específica sobre os números não é o modo ”como eu penso”.
    [TLC-MN, 2005]
  • Para os sites FAQs dela, JK procura “buscar o que as pessoas querem respondido.”
    [TLC-MN, 2005]
  • JK postou uma vez no Mugglenet, mas ela nunca posta em comentários.
    [TLC-MN, 2005]
  • A favorita invenção da Gemialidades Weasley de JK é o Feitiço Patenteado para Devanear.
    [TLC-MN, 2005]
  • JK leu alguns dos livros de Nárnia, mas nunca leu o final da série.
    [ITV, 2005]
  • Jo valoriza coragem sobre todas as outras virtudes e estava tentando mostrar isso quando Neville encarou o trio no fim de PF. Neville não era o “Macho, tipo de coragem esplendorosa que Harry mostra ao jogar quadribol.”
    [ITV, 2005]
  • JK estava “seriamente chateada” no final do livro 6.
    [ITV, 2005]
  • O Cálice de Fogo e A Câmara Secreta foram os livros mais difíceis para J.K. escrever.
    [ITV, 2005]
  • JK ama escrever diálogos, especialmente entre Harry, Rony e Hermione.
    [ITV, 2005]
  • “Eu amo nomes excêntricos e como eu sempre fui interessada em folclore e eu acho que era uma coisa lógica escrever essas coisas repentinamente.”
    [ITV, 2005]
  • JK gostaria de ensinar Defesa Contra as Artes das Trevas em Hogwarts já que é a mais vale a pena.
    [ITV, 2005]
  • “Eu nunca pensei em termo do O que eu vou ensiná-los? Ou, O que será bom para eles descobrirem aqui?”
    [Time Magazine, 2005]
  • Quanto ao assunto de os livros dela serem livres de referências a Deus: “Hum. Eu não acho que eles são seculares,” ela disse, escolhendo as palavras calmamente. “Mas, obviamente, Dumbledore não é Jesus.”
    [Time Magazine, 2005]
  • [Os livros são uma] “espécie de reunião de pais ruins. É onde o mal parece florescer, em lugares onde os pais não fazem bem seu trabalho”.
    [Time Magazine, 2005]
  • “Acredito que OdF poderia ter sido mais curto. Eu sabia disso, e acabei ficando sem tempo e energia no final.”
    [Time Magazine, 2005]
  • “Eu acho que posso afirmar categoricamente que eu não vou escrever outra fantasia depois de Harry”.
    [Time Magazine, 2005]