Anelli, Melissa. “Uma pequena aventura sobre Harry Potter foi o sonho de uma vida”. Staten Island Advance, 18 de julho de 2005.

Edimburgo, Escócia – O fim de semana foi um pouco de sonhos, completado com pitadas de fantasia que geralmente os acompanham.

Enquanto subí­amos a calçada para o castelo de Edimburgo na sexta-feira à noite, Emerson Spartz (que representou o MuggleNet) e eu (representando meu site, The Leaky Cauldron), ficávamos beliscando um ao outro, e tenho as marcas para provar. Parecia demais para acreditar, que nós estávamos em Edimburgo, a caminho de um castelo, para o lançamento de um evento sobre Harry Potter no qual a autora J.K. Rowling faria uma leitura, e, depois dessa leitura, receberí­amos um livro (Harry Potter e o Enigma do Prí­ncipe), o qual estivemos esperando por dois anos, que nós gastarí­amos a noite toda lendo e que, a manhã seguinte, passarí­amos nos preparando para uma entrevista à tarde com Jo Rowling no seu escritório em casa.

Os beliscões eram necessários.

No castelo, uma projeção da capa da versão britânica dos livros – Harry e seu mentor, Professor Alvo Dumbledore, no centro de um tipo de redemoinho de fogo – cobria a frente do castelo, fazendo-o parecer em chamas. Um tapete vermelho foi colocado entre duas partes de assentos de espera, e repórtes apinhavam um lado dele, enquanto fãs lotavam o outro.

Nós nos sentamos até a Sra. Rowling chegar, bem encolhida para agüentar o frio da temperatura escocesa que caía rapidamente, e sendo recebida com muito barulho por todos os fãs, que estavam indo à loucura com um ansioso mestre de cerimônia.

Quando chegou a hora de entrarmos no castelo, voltamos nossos olhares à sala, em excitação e reverência, e tomamos fôlego enquanto entrávamos no dramático local da leitura.

Por volta de 10 horas depois, eu terminei de ler o livro. É meu Harry Potter preferido até então – escuro, elaborado, excêntrico, bem ritmado e divertido, contendo exemplos brilhantes de todos os elementos da escrita da Sra. Rowling, tudo entrelaçado fortemente numa trama que me conduziu até as suas profundezas.

Existem poucas coisas melhores que poder dizer estas sobre um livro que você ama, e uma é poder dizer para o autor em pessoa. Jo nos perguntou imediatamente, quando a conhecemos no seu espaçoso escritório, mais tarde naquele mesmo dia, se nós tínhamos lido o livro e o que nós haví­amos achado, e perguntou muito seriamente. Considerando nossa situação, provavelmente pareceria idiotice fazer estardalhaço sobre isso, como nós fizemos, mas só havia honestidade na nossa excitação.

Eu me perguntei seriamente se eu iria a) ficar tensa, b) ficar muda ou c) vomitar de nervosismo quando a entrevista começou, mas por Jo estar bem relaxada e receptiva, a entrevista – que deveria durar uma hora mas de alguma forma aumentou para duas – imediatamente entrou numa divertida e calma troca de risadas e idéias, impressões e exclamações, e o melhor de tudo, perguntas e respostas. Parecia que nós éramos amigos de correspondência reunidos depois de um longo tempo, e descobrimos felizmente que poderí­amos ser amigos na vida real também.

A transcrição completa da entrevista será colocada no www.the-leaky-cauldron.org durante esta semana, e ela contém todo tipo de coisinhas sobre a vida dela e seus livros, assim como várias discussões satisfatórias sobre mais tópicos sérios e centrados. Por anos, nós, como fãs, vimos jornalistas que sabem quase nada sobre os livros perguntar-lhe sobre como teve a idéia de Harry Potter e se vai haver mais de sete volumes na sua série, coisas que ela já respondeu tantas vezes que as respostas podem ser recitadas de cor por qualquer fã comprometido. Isso nos frustrava tanto, é um grande alí­vio e agradecimento ter a chance dessa entrevista. Quando nos deixou entrevistá-la, Jo nos permitiu pular o básico e ir direto para a melhor parte.

Esta é a entrevista que nós querí­amos ler por um longo tempo, e nós pudemos conduzi-la.

Um tempinho para outra beliscada.

Traduzido por: Matheus Almeida em 28/07/2006.
Revisado por: Adriana Couto Pereira em 01/05/2007.
Postado por: Fernando Nery Filho em 30/04/2007.
Entrevista original no Accio Quote
aqui.